Notícias

11.03.2020

Tribuna Popular aborda o dia 8 de março e ações da Coordenadoria de Políticas públicas para a mulher

Cb image default
Regiane da Silva Andrade no uso da Tribuna Popular. Foto: Divulgação/ASCMSGO

A Coordenadora de Políticas Públicas para as mulheres, igualdade racial e juventude, Regiane da Silva Andrade, utilizou a Tribuna Popular durante a sessão ordinária desta semana (10) para abordar o tema “Dia Internacional da Mulher (8 de março) - As ações realizadas pela Coordenadoria e a importância das mulheres na sociedade”.

Regiane da Silva Andrade iniciou a sua fala realizando um breve contexto histórico, informando que “o dia 8 de março foi reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como dia internacional da mulher no ano de 1975”, ano que a ONU intitulou de “Ano Internacional da Mulher” para lembrar suas conquistas políticas e sociais.

Em 1975 “foram realizadas, além desta, várias outras ações no sentido de fortalecer a luta das mulheres por igualdade de direitos e espaço, para que a equivalência da presença feminina, junto aos homens, fosse alcançada” comenta Regiane da Silva Andrade convocando a todos para refletir e analisar, além da data comemorativa, o papel da mulher na sociedade como um todo.

Abordando a questão da relação da mulher e trabalho, a Coordenadora Regiane Da Silva Andrade, apresentou dados da última pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), datado de 2018, que evidenciou que a responsabilidade da mulher pelos afazeres afeta a sua inserção no mercado de trabalho.

Conforme os dados da “Estatística de Gênero: Indicadores Sociais das Mulheres no Brasil” apontam que as mulheres com ocupação do tempo parcial (até 30 horas semanais), voltado para o trabalho fora de casa, era muito maior do que os homens. A proporção apresenta 28,2% para as mulheres e 14,1% para os homens.

“De nada adianta conquistarmos nossos espaços, trabalhos, ter anos a mais de estudo, se não podemos colocar em prática. Se não podemos nos dedicar a sociedade, como um todo, essa nossa capacidade”, explica a Coordenadora ao mencionar sobre as mais diversas jornadas que as mulheres possuem, seja, nos cuidados da casa, filhos, marido ou pais com idades avançadas.

Nesta mesma pesquisa, também é evidenciado que apesar de uma diminuição na diferença salarial entre homens e mulheres, ocupando a mesma função e mesmo nível de qualificação, “ainda é de mais de 20%. Quer dizer que em média as mulheres recebem 75% do salário dos homens para exercer a mesma função”, enfatiza Regiane da Silva Andrade.

Apresentando um ponto positivo, em relação a mesma pesquisa realizada em 2016, o estudo do IBGE pontua que houve um aumento da ocupação feminina nos cargos de decisão e poder, principalmente nas áreas públicas e direção de empresas privadas. “Isso devemos comemorar com muito ímpeto porque realmente é uma conquista de muita luta”.

Na administração pública de São Gabriel do Oeste, cinco das sete Secretarias Municipais são gerenciadas por mulheres, além de diversas outras coordenações, unidades de saúde, fundações e demais cargo com importantes pautas.

“Nós estamos à frente de uma realidade nacional. Aqui em São Gabriel do Oeste podemos dizer que as mulheres possuem espaço, podem ter voz, e, sobretudo, as suas ações são valorizadas”, comenta Regiane da Silva Andrade.

Em grande maioria dos municípios de Mato Grosso do Sul, as pastas possuem à frente homens.

“A nossa realidade deve servir de exemplo para os demais municípios. [...] Lutar do sentido feminino da palavra é manter o que já foi conquistado e melhorar o que precisa ser melhorado”, disse Regiane da Silva Andrade.

Atividades da Coordenadoria de Políticas Públicas voltadas para a mulher

“A Coordenadoria de Políticas Públicas para as mulheres, igualdade racial e juventude de São Gabriel do Oeste, em parceria com a iniciativa privada e com as demais políticas públicas, desenvolve ações, políticas de fortalecimento, capacitação profissional e valorização do eu feminino quanto indivíduo. Para que ela ocupe com qualidade cada vez mais os espaços que já temos e busca” de novos, disse a Coordenadora responsável pela pasta.

As mulheres são gabrielenses possuem dois pontos referenciais para seu atendimento: Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) e Centro de Referência Especial de Assistência Social (CREAS).

Segundo a Coordenadora de Políticas Públicas para as mulheres, igualdade racial e juventude, Regiane da Silva Andrade, “O CRAS trabalha com o empoderamento feminino a partir da qualificação de cursos de geração de renda para mulheres que estão em vulnerabilidade social e financeira. Para que elas tenham a opção de buscar sua independência financeira e sair, muitas das vezes, de situação de violência”.

“O CREAS vai trabalhar com aquelas mulheres que infelizmente já passaram por momentos de violação de direito e agressão. Que precisam de um amparo para se reinserir na sociedade fortalecida da sua condição feminina. [...] Sabendo que ela é capaz de gerir uma casa, trabalhar fora, ser valorizada e recompensada financeiramente”, explica Regiane da Silva Andrade.

Além das politicas públicas municipais, a Coordenadoria também segue programas nacionais ligados a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM) que é vinculada ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Nós “não precisamos fazer outra política pública para a mulher, precisamos fortalecer as que existem. As mulheres precisam ocupar espaço que já estão aí, porque só ocupando os espaços e mostrando para o que viemos e podemos é que iremos garantir que não percamos esses espaços já conquistados. Vamos embasar e motivar a busca da conquista de novos” comenta Regiane da Silva Andrade.

Única representante feminina da Coordenadoria Pública de Juventude em todo o Estado, Regiane da Silva Andrade, convoca as mulheres são gabrielenses para participar do Conselho de Juventude, Conselho da Mulher e Conferências que acontecerão neste ano. “Precisamos ocupar os espaços que nós temos e conquistamos com muito trabalho e esforço, não só nosso, mas, de outras mulheres que vieram antes de nós” e que ainda irão vir, finalizando sua participação na Tribuna Popular.

A Coordenadoria de Políticas Públicas para as mulheres, igualdade racial e juventude está localizada na Prefeitura Municipal (Rua Martimiano Alves Dias, 1211. Bl. D. Centro). Telefone para contato (67) 3295-6232.

Tribuna Popular: A Tribuna Popular é um instrumento de grande importância para ampliar a participação dos munícipes. Na tribuna popular, entidades e populares podem se inscrever para discutir assuntos de interesse do município. Para fazer uso da tribuna popular os interessados deverão atender as seguintes exigências: comprovar ser eleitor do Município; fazer inscrição prévia; e indicar expressamente, no ato da inscrição, a matéria a ser exposta.