Notícias

22.05.2019

Câmara de São Gabriel apoia o movimento dos servidores das escolas estaduais

Cb image default
Divulgação: Servidores administrativos das escolas públicas estaduais do município de São Gabriel do Oeste recebem moção dos vereadores.

A Câmara Municipal de São Gabriel do Oeste apresentou, durante a sessão ordinária de terça-feira (21), a Moção de Solidariedade ao Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação (SIMTED) em apoio aos servidores administrativos das escolas públicas estaduais do município de São Gabriel do Oeste. A mais de quatro anos o Governo do Estado não realiza o reajuste salarial dos servidores administrativos das escolas públicas estaduais e o setor atualmente se encontra em greve.

O movimento dos profissionais vem em contestação e busca para a incorporação do abono salarial e uma política salarial justa, contratação de mais funcionários para as escolas, chamada do concurso público e manutenção de trabalho de 06 horas diárias.

Cobrando do governo uma política de valorização dos administrativos do estado, o Governo não realizou reajuste salarial dos profissionais, sendo equivalentes ao abono de R$200,00 e mais R$100,00 de vale alimentação para complementar o salário base que é menor que o salário mínimo. O valor do salário mínimo é R$998,00 conforme o decreto n°9.661, de 1° de janeiro de 2019.

Muitos profissionais serão prejudicados com a retirada do abono, vale alimentação e com o retorno de 8 horas de trabalho, diminuindo o valor do salário e aumentando as horas de trabalho. Sobre a política de 6 horas, ela vem de acordo com a desvalorização e baixo valor salarial.

Devido ao não avanço das negociações com o Governo Estadual, o SIMTED realizou uma Assembleia Extraordinária realizou na segunda-feira (20) para falar sobre a negociação salarial e deflagração da greve dos servidores administrativos das escolas estaduais. Segundo o SIMTED, a greve foi evitada pelos servidores o máximo possível, pois o objetivo era de conseguir uma negociação justa com o Governo do Estado, mas diante de todas as negativas e dos descumprimentos dos acordos se fez necessária.

À Câmara de Vereadores se sensibiliza e se solidariza pelo movimento dos servidores. Após tramitação regimental, a Moção de Solidariedade será encaminhada ao Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja.